Youtube MundoPM  Facebook MundoPM  Twitter MundoPM 
Flickr MundoPM  LinkedIn MundoPM  Google+ MundoPM

 

 


PDM

Assinaturas Anuncie Edições Anteriores Contato
 

Peter Mello recebe Premio do PMI no evento em Belo Horizonte
 
Data: 13/11/2009 Veículo: Revista MundoPM- Project Management Seção: Noticias e o Mercado UF: PR

Entrevista Peter Mello

Premiado pelo PMI com o

Eric Jenett Project Management Excellence Award

 

 

Brasília é reconhecida por excelência em Gerenciamento de Projetos pelo Project Management Institute através do Eric Jenett Project Management Excellence Award. Em novembro, Peter Mello é o primeiro latino-americano a receber esta premiação criada em homenagem ao fundador do PMI (1969).

 

O Programa de Premiações do PMI reconhece a excelência em gerenciamento de Projetos em diversas categorias para organizações, comunidades, capítulos do PMI, trabalhos voluntários, produtos e indivíduos,” disse Gregory Balestrero, presidente e CEO do PMI. Ganhar este prêmio é um testemunho do valor que o gerenciamento de Projetos pode trazer para uma variedade de envolvidos (stakeholders).

 premio
Foto Entrega do Prêmio: Gregory, Peter e Ricardo Vargas (esq. p/ dir.)

O prêmio, até hoje concedido para sete pessoas, honra os indivíduos que se destacam por uma ampla contribuição para a prática da profissão de Gerenciamento de Projetos, demonstrando liderança e iniciativa enquanto desenvolvendo avanços em relação a conceitos, técnicas, práticas ou teorias sobre o Gerenciamento de Projetos.

 

MundoPM – O PMI já concedeu alguns prêmios para brasileiros, em diversas categorias. Ainda assim, este é o primeiro prêmio individual concedido no Brasil. Como foi a seleção?

 

Peter Mello – Venho atuando como voluntário em diversas iniciativas do PMI desde 2003 e também trabalhei na promoção do Gerenciamento de Projetos a partir da criação de uma comunidade de estudantes e profissionais na área. Com aquela comunidade, tive a oportunidade de me aproximar do sr. Russell Archibald, membro n#6 do PMI e responsável pelo primeiro discurso dado por aquela associação em sua abertura, em 1969. O então “Clube PMP” apoiou a pesquisa do sr. Archibald em relação à categorização de projetos (hoje podemos encontrar a aplicação prática desta pesquisa no modelo de maturidade em projetos do  Prado & Archibald).

                Na ocasião, contei ao sr. Archibald sobre meu desejo de distribuir materiais gratuitos em Gerenciamento de Projetos através de um material de apoio. Ele apoiou meu projeto com o envio de materiais que foram distribuídos no que ficou conhecido como o Curso GP2000. Alguns anos depois, com a ampliação de nossa parceria, escrevi meus primeiros seminários para eventos do PMI em co-autoria com este profissional.

                Conheci o sr. Edward Fern (EUA) e Vladimir Liberzon (Rússia) em função deste círculo de trabalho iniciado com a pesquisa sobre categorização de projetos e então o sr. Russell Archibald percebeu meu entusiasmo em promover o Success Driven Project Management, método criado por Liberzon e apresentado ao Ocidente em suas primeiras aparições pelo sr. Fern e pelo próprio Archibald.

                Minha candidatura ao prêmio foi então enviada por ele e outros profissionais, defendendo meu empenho em ampliar os horizontes do gerenciamento de projetos. 

 

 

 

MundoPM – O Clube PMP não existe mais. É um projeto que deu errado?

 

Peter Mello – Quando o clube nasceu, a idéia era criar um portal de conhecimento e que levasse as pessoas a outras fontes de conhecimento, como eventos do PMI, do IPMA ou qualquer outra associação em projetos que pudesse contribuir com a ampliação de nosso conhecimento sobre a área. Eu fui articulista, webmaster e programador deste portal em meu tempo livre, enquanto trabalhava como Gerente de Projetos em uma grande empresa de serviços em Brasília.  O clube cresceu rapidamente e em menos de um ano já tínhamos passado de 1.500 membros.  O Curso GP2000, com dezenas de materiais gratuitos já tinha mais de 2.000 downloads. Consegui então um patrocínio da empresa onde eu dava cursos preparatórios para a Certificação e lançamos um programa inédito, com materiais registrados junto ao PMI. Isso ajudou a alavancar o material e meus treinamentos, mas foi o começo do fim do clube.

                O que aconteceu em seguida é que alguns membros de capítulos do PMI entenderam que a iniciativa gratuita tinha sido uma grande estratégia de marketing para lançar comercialmente a empresa.  Eu finalmente tinha um patrocínio, o que seguramente contribuiu para alavancar a qualidade do material e a amplitude de sua distribuição, mas eu acho que “mexeu com o queijo” de muita gente, pois o clube - sem uma organização formal - tinha membros em todo o Brasil, contribuía para pesquisas nacionais e internacionais e ainda por cima agora “ganhava dinheiro”.

                Eu levei a briga adiante por um tempo, mas por fim ficou mais fácil simplesmente abandonar o portal (que inclusive já tinha sido “hackeado” em duas oportunidades logo antes do seu funeral); por outro lado, a parceria com o patrocinador do Curso GP2000 floresceu para uma nova oportunidade e de fato tornou-se uma iniciativa vinculada a uma empresa. Eu fui convidado a ser um dos sócios da X25 Treinamento e Consultoria no final de 2005 e os materiais gratuitos deixavam de ser uma iniciativa “do Peter com o patrocínio da X25” e passaram a ser “um produto” dentro do nosso programa de contribuição social.

                O meu projeto pessoal, de expandir os horizontes sobre estudos relacionados ao Gerenciamento de Projetos, não morreu. Eu transferi meus esforços para estar presente em comunidades como a do EPLAN, hoje maior lista de discussão em Gerenciamento de Projetos do Brasil, graças aos esforços do seu fundador e moderador Lápis (Luis Augusto Pinheiro da Silva). O Curso GP teve novas edições, com atualizações do PMBOK, e hoje continua gratuito e oferecendo mais de 1000 slides sobre Gerenciamento de Projetos.  Já foram mais de 30.000 downloads e a sua nova versão (InteliMedia com PMBOK2008) foi lançada em Abril, já chegando aos 2.000 usuários em 8 meses.

 

MundoPM – Mas afinal, você ganhou dinheiro com aquela iniciativa, tão temida por alguns?

 

Peter Mello – O Clube em si nunca deu dinheiro. Por sinal, devo até a devolução a alguns associados de pequenas contribuições que recebi para manter o site e o material, na promessa de versões melhores e serviços mais completos. Tem umas três ou quatro pessoas que contribuíram com cerca de R$ 20,00 ou R$ 30,00 que eu perdi o contato (com os hackers) e nunca entreguei o que prometi! De sua fundação à seu enterro, o Clube acumulou em doações algo em torno de uns R$ 2.000,00 que foram utilizados em hospedagem, desenvolvimento, entre outros.

                Por outro lado, desta iniciativa nasceu parcerias com a Time-to-Profit (Simulados para Certificação PMP), com a X25 e com a Spider Rússia.  Estas empresas hoje – juntas – pagam pelo meu salário e pelo tempo que dedico semanalmente à manutenção de materiais gratuitos, artigos e participações em listas.  Tenho muito orgulho disso e acho que o resultado financeiro só amplia minhas chances de continuar trabalhando com iniciativas gratuitas. Hoje em dia, além do meu salário, a X25 ainda paga pelo tempo parcial de alguns de nossos consultores especialmente para atenderem gratuitamente a comunidade.  Eu deixei de ser um empregado de uma grande consultoria para ser sócio em uma empresa que vem crescendo bem acima da média nacional nos últimos anos.

 

MundoPM – O que este prêmio deverá trazer para você?

 

Peter Mello – Eu tenho a certeza de que vou ampliar meus horizontes em networking por conta desta premiação, que tem reconhecimento internacional.  Isso deverá também ampliar a possibilidade de pessoas contribuírem com a iniciativa dos materiais que produzo. Hoje, a Spider patrocina o pacote e ele é utilizado na divulgação da solução russa, mas a condição para tal que eu levei como imposição à Rússia foi o de ampliar os benefícios da versão gratuita. Assim, o InteliMedia (o nome atual do pacote) não é apenas uma solução gratuita que ensina conceitos básicos em gerenciamento de projetos, mas traz ferramentas para que profissionais e estudantes usem o conjunto inclusive em projetos reais.

                Eu tenho a esperança de que capítulos do PMI e universidades em geral passem a apoiar esta iniciativa, não só em sua divulgação e uso, mas na formatação e inclusão de novos conteúdos! O PMI tem patrocínios, os capítulos do PMI tem patrocínios, este material também tem patrocínios; se a minha marca (X25/Spider) estão se beneficiando da promoção deste material, eu diria que é uma troca justa em relação à amplitude do que nos colocamos a trazer para as pessoas.  Só para você ter uma idéia, hoje tenho mais de 2.000 usuários da versão gratuita do pacote e menos de 30 pessoas contrataram os serviços online adicionais que oferecemos como pacote pago. Praticamente todo o material criado para atender àqueles que pagam pelo serviço é incluso na versão gratuita e a efetiva diferença entre as duas versões é que na segunda podemos dar uma atenção mais pessoal ao aluno, visto que ele paga pelo tempo de nossos consultores.

 

MundoPM – A premiação não é só para aqueles que demonstram liderança, mas também colaboram com avanços em relação a conceitos e técnicas. Como você se enxerga neste contexto?

 

Peter Mello – Minha mais recente bandeira é em defesa do SDPM – Success Driven Project Management. É uma metodologia revolucionária desenvolvida pela Spider na Rússia e que está aberta ao mercado como não-proprietária. Meu desejo é contribuir por estudos sobre o assunto que levem outras empresas a implementarem os seus princípios em ferramentas tradicionais do mercado, como o MSProject ou o Primavera. Graças a MundoPM e seminários do PMI eu tive algumas oportunidades de fazer esta metodologia mais conhecida e ela começa a entrar em trabalhos de conclusão de cursos na área de projetos. Agora temos o website www.sdpmworld.com onde vamos reunir a experiência de profissionais de pelo menos 10 países sobre o assunto. A maior parte do conteúdo colocado neste site está dentro do licenciamento Creative Labs, permitindo que outras pessoas possam utilizar este conhecimento inclusive para iniciativas comerciais.

                De certa forma, o www.SDPMworld.com é o renascimento do Clube PMP! Esperamos criar uma comunidade que contribuam amplamente para melhorias das técnicas, métodos e conceitos de nossa área de trabalho.

 

MundoPM – O SDPM não é uma técnica exclusiva da ferramenta que você representa comercialmente?

 

Peter Mello – Eu diria que por enquanto sim. O criador da metodologia é um gerente de projetos e consultor na área, não um fabricante de software. Ele foi obrigado à desenvolver a sua ferramenta pois as soluções de mercado não eram capazes de fazer tudo aquilo que ele reconhecia como importante para o desenvolvimento de bons projetos. Hoje, o software é até rentável, mas contribui apenas com uma parcela do sucesso da Spider Management Technologies junto aos mais de 10 países onde atua.

                Eu vejo um futuro onde o método será reconhecido pela sua capacidade de integrar o gerenciamento de riscos à gestão de escopo, custo e prazo por dezenas de fabricantes e todos eles poderão adotar a metodologia em suas ferramentas! Parece contraditória, a idéia vindo de um russo, mas o SDPM está aberto ao público, de forma democrática!

                O sr. Liberzon esteve no Brasil este ano e oferecemos palestras gratuitas para mais de 1.000 pessoas. O conteúdo abordado foi essencialmente prático e temos dezenas de usuários que já estão adotando os conceitos de SDPM graças a disponibilidade do licenciamento gratuito da ferramenta para pequenos projetos.

                Em meu sonho de consumo, um dia uma empresa de porte, que efetivamente poderá distribuir bem a ferramenta no Brasil, irá me fazer uma proposta para assumir sua representação e me devolver o direito de ser apenas um usuário e crítico da ferramenta. É muito complicado ser o representante comercial de algo que eu defendo conceitualmente, pois acredito nos resultados que oferece. A verdade é que ser um representante Spider é conseqüência do meu esforço para aprender e divulgar o SDPM, não a sua razão de ser.

 

MundoPM – O que impede o SDPM de ser utilizado hoje nas ferramentas já existentes? Afinal, não é uma metodologia?

 

Peter Mello – De fato, qualquer pessoa com uma boa organização e documentação de suas informações de projeto pode aplicar os conceitos de SDPM utilizando uma solução de cronogramas, alguma ferramenta para o cálculo resultados probabilísticos em cronogramas e, talvez uma tabela Excel para calcular os indicadores de probabilidade de sucesso que são a essência do método.

                Por trabalhar com análise de tendências, o SDPM exige que se tenha um histórico completo de medições de projeto. Isso pode ser feito com a guarda de múltiplas versões de um cronograma para avaliar o seu desempenho entre cada novo planejamento ou medição de progresso.  Por tratar de análise probabilística relacionada à riscos e incertezas, o SDPM irá exigir um bom processo de identificação, análise e resposta à riscos e a sua simulação nos cronogramas. Métodos de simulação podem incluir soluções simples em planilhas e softwares estatísticos para a aplicação de Monte Carlo ou até mesmo PERT.

                A Spider Management criou um mecanismo próprio de avaliação de probabilidades que é um mix entre Monte Carlo e Pert, pois é mais importante para o método ter precisão das informações do que acurácia.  Na ausência deste mecanismo interno, PERT e Monte Carlo podem dar resultados aproximados suficientes para o uso do método.

                Portanto, a aplicação de SDPM em outras ferramentas é trabalhosa, mas possível. Os resultados em termos de ganho sobre variações em projeto por conta de riscos e incertezas podem compensar o esforço.

 

 

Redação Revista MundoPM – 12/11/2009



Leia a notícia direto da fonte
 
Voltar
 

Procurar Artigos Online

Comprar Revista

Eventos SpecialDay

Artigos Destaques

Cursos Online



JMPM

 



Curso Online RiscoPRO